November 30, 2008

Fátima, Lola e Marias

Arquivo em: Coluna — Marco Telinha @ 11:31 pm
0 votos votar

Olá, tudo bem? Veja hoje no Tevezona exxxxxpetaculaaaaar… Antes de qualquer coisa quero finalizar o tema bairrismo que abordei nas últimas colunas. Algumas pessoas deixaram comentários sobre a situação em seus Estados e a sensação (nítida) de haver favorecimento aos clubes paulistas por parte da emissora do Morumbi. Eu posso dizer que conheço vários Estados e dezenas de cidades deste país. Incluíndo-se aí várias de São Paulo. E posso afirmar, sem medo de errar, que a grande maioria dos paulistas não pensa da mesma maneira que certos setores da imprensa ou de uma pseudo elite discriminatória e arrogante. E esses são fáceis de identificar. O povo mesmo, pode até ter rivalidade com outros Estados, pode brincar, fazer piadas, mas não passa a vida destilando um ódio mortal contra os demais do país do etanol. E a rivalidade (sadia) ou as brincadeiras não são atitudes preconceituosas como pode se imaginar de início. Fica mais do lado do folclore. E todos fazem isso: gaúchos, catarinenses, mineiros, baianos, cariocas… Todos são alvo e agentes de piadas e brincadeiras.
Também não podemos botar toda a imprensa paulista no mesmo saco. Muitos jornalistas e comentaristas esportivos conseguem expressar suas opiniões sem pensar antes na bandeira do Estado ou em angariar a simpatia de meia dúzia de torcedores fanáticos. Sem forçar a memória posso citar o Juca Kfouri e o Sócrates, corinthianos confessos, como um exemplo de imparcialidade. E existem muitos outros. Assim como existem aqueles que querem se transformar em comentaristas de arquibancanda. Com a camisa do time, boné, bandeira e tudo mais. É um apelo popular e que funciona com certas pessoas. Até compreendo, se a pessoa não tem maiores qualidades resta buscar o populismo barato e fácil.
Inaceitável é ver uma rede nacional de televisão transformando isso em estratégia de programação e audiência. Ainda mais quando o resultado prático é um teto de 4 pontos de audiência!! E isso na grande São Paulo. Será tão difícil perceber que a tal estratégia não está dando resultado? Até quando vão contratar ex-jogadores (semi-analfabetos), vestir com a camisa do clube e transformar em palpiteiros profissionais? Até quando vão alardear o imparcialismo em seu jornalismo e praticar o bairrismo no departamento de esportes? Quando será que as normas do bom jornalismo chegarão aos microfones do futebol?
Com a palavra os verdadeiros culpados, os diretores desse tipo de televisão.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
No JN da última Sexta a senhora Fátima Bonner & Bernardes encerrou a edição avisando que os espectadores teriam mais notícias no Jornal da Globo, depois de Ó Pai E Ó. Assim, bem separadinho. Não que isso vá afetar o preço do petróleo, mas… Melhor alguém avisar a titia Fátima que o correto é Ó Paió. Se possível comendo acarajé e fazendo sotaque baiano :P
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Na noite dessa mesma Sexta acabei deixando a tv ligada enquanto fazia outras coisa. De repente… PeloamordeDeus.com.br!!!!!!!!! Alguém viu o Programa do Jô daquele dia? Viram aquela maravilha da russa que atua na televisão do Chile e é dançarina? Caçarola!!! Que coisa deliciosa! Acho que nunca vi o Jô tão babão. Faltou pouco pro “papai Noel” dar uma mordida na loirinha. Mas é justificável. Eu, de longe, estava babando o triplo, imagina do lado daquela coisinha maravilhosa.
Nem preciso falar que sai correndo pra Internet e fiz umas buscas pela moça, Lola – não confundam com a novela argentina. Tinha até um papo de que ela já namorou o Alexandre Pires. Bobinho ele, hein… Pena que a maioria das fotos que encontrei não faz jus à beleza da russa. Nem ao charme e graça da loirinha. No Programa do Jô ela estava… Digamos assim… Muito mais… Bem, muito mais gostosa mesmo. Mais carnuda. Quem viu o programa vai entender.
Na falta de melhores explicações, uma foto da Lola Melnick:

lola melnick super gata russa

Se eu não aparecer mais, me procurem no Chile :)

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Ainda no mesmo dia… Vi uma reportagem reprisada no Amaury Jr, em que ele entrevistou o Caio Binder, em 2006, e ele apontava o Obama como um forte nome na política americana para o futuro próximo. Pois é… Jornalista bom precisa saber do assunto que aborda. Tem que ler, conversar, escutar, perguntar… Diferente de uns e outros que mal enxergam um palmo além do nariz. Só comentam o momento presente. Esquecem do passado e não conseguem vislumbrar o futuro. Como exemplo – lá vou eu falar da Band novamente – cito o caso de um jornalista/diretor da emissora do Morumbi. Vi a cena durante a cobertura das últimas eleições municipais. O assunto era a influência do presidente molusco na decisão dos eleitores. Um dos políticos entrevistados lembrou que aqueles mesmos jornalistas eram os que criticavam o Lula há 3 ou 4 anos. Daí, um deles se justificou dizendo algo como: “Mas agora o Lula tem 80% da aprovação nas pesquisas, tá com a bola toda. Não dá pra falar mal do homem”. Hah! Então tudo se resume em números de pesquisa? Se for assim não precisa ter comentarista de política, basta dar o índice de popularidade e pronto.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Ainda no mesmo bat-dia… Eu não vejo tudo mas sou um zapeador profissional :) O Superpop me apresenta duas moças que se intitulavam como marias chuteira de carteirinha. Como diria o Bonfá, tirem as crianças da sala! Pois então… O programa ia naquele altíssimo nível habitual. Pra variar as senhoras de fino trato que se apresentam lá nunca citam o nome de seus client… eh, namorados. Em dado (ótima palavra) momento uma delas conta (orgulhosa) que metade de seu carro foi presente de um certo jogador. E ainda falou que seus pais achavam tudo muito normal, eles tinham a mente aberta. Não pude deixar de filosofar: “pais com mente aberta geram filhas com pernas abertas também”. Nada contra as moças que exercitam bastante a periquita, mas… Como é que se chama a mulher que ganha metade de um carro em troca de 2 ou 3 bimbadas??
Minha única dúvida é como ainda não criaram uma lei obrigando todas as escolas deste país a gravar o Superpop e exibir diariamente nas salas de aula. Deveria constar da grade curricular. Tipo uma qualificação profissional para as moças que não pretendem estudar e trabalhar (na vertical) no futuro.

Gostou? Compartilhe:
« « Band e Bairrismo, parte 2| Hipocrisia & Demagogia » »

November 27, 2008

Band e Bairrismo, parte 2

Arquivo em: Coluna — Marco Telinha @ 9:40 pm
0 votos votar

Pode ter sido coincidência, mas… Na última coluna eu havia falado sobre o bairrismo irritante da Band e o parcialismo de seus comentaristas. Pois no primeiro jogo da final da Sulamericana, entre Estudiantes e Internacional, o Luciano do Valle iniciou e terminou a transmissão defendendo a emissora e negando qualquer preferência por um Estado ou outro. Bem… Não é exatamente assim. Se as opiniões aqui defendidas (e em outros sites, jornais, revistas e demais meios) não tivessem qualquer fundamento ele não iria perder 3 ou 4 minutos para explicar o inexplicável. É melhor que o Luciano gaste seu precioso tempo aconselhando (novamente) seus colegas e até a direção da emissora. Reconheço que é uma missão difícil, mas não é mais do que convencer o espectador de algo que ele presencia diariamente e há muitos anos.
O jogo da semifinal da Sulamericana, Inter e Chivas, passou para toda a rede? Ou era um filme meia-boca que a Band passou naquela data? Quais os clubes citados na chamada do Terceiro Tempo do último Domingo? Não teriam sido o Corinthians, Palmeiras e São Paulo? Basta pegar a fita (acho que não usam mais isso) e conferir. Quais jogos, não envolvendo clubes paulistas, a emissora passou pra rede no atual Brasileirão? Quais são os assuntos abordados pelos programas esportivos da emissora; e mesmo quando passam em rede nacional? Basta pegar um papel, uma caneta e ir anotando. E quando falam de algum clube de outro Estado (fora da República Federativa de São Paulo) é só pra esculhambar.
Discutir o óbvio é que não dá. E se a Band tem alguma dúvida sobre o assunto que mande fazer uma pesquisa de opinião pública nos demais Estados deste “outro” país.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Ainda sobre o mesmo tema… Lembrei de um episódio que assisti no Terceiro Tempo há uns 2 meses. Rodaram uma reportagem onde alguns torcedores (de vários Estados) falavam sobre a cobertura do futebol na imprensa. Um dos entrevistados, flamenguista, falou que mal citavam certos clubes e, mostrando isenção, mencionou o caso do Botafogo. Termina a matéria e o Morsa (carioca de fígado) levanta a mão gorda e começa a vomitar: “É? Então manda ele ver se as rádios do Rio ficam falando do Corinthians, do Palmeiras ou do São Paulo!” Rádios??? Pombas e pitombas!! Rádio, salva raras excessões como a CBN, é um veículo regional. Rádio DEVE falar sobre as coisas locais, sobre o esporte local. Inclusive as rádios do grupo Bandeirantes. A rádio Bandeirantes de São Paulo DEVE falar do futebol paulista, a do Rio DEVE falar sobre os times do Estado, a de Porto Alegre sobre os clubes gaúchos… Ninguém aqui está criticando rádios e sua cobertura local. Estamos falando de programas em rede nacional de televisão. E aqueles que se comportam como se fossem locais. Esses sim vão continuar levando críticas. Chega de bairrismo!!!
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Na onda de cortar funcionários (eu disse funcionários e não custos) a Band demitiu a Karyn Bravo há quase uma semana. Dois dias depois ela já estava na tela do SBT, no quadro do tempo. Uma velocidade impressionante. Ponto positivo pro SBT e ponto negativo pra Band nessa “aula”. Ainda mais que a Band resolveu escalar a Nadja Haddad e a Ticiana pra acumular a função. Nisso ocorre essa tragédia anunciada em Santa Catarina e a Band manda a Ticiana pra lá. Resultado: no primeiro dia ela ainda deixou a previsão do tempo gravada. Depois ficou só no áudio. Sem nenhuma moça charmosa pra apresentar o quadro. Dá nisso!
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Ainda sobre a Band (ufa, tá cansando)… É melhor alguém avisar pro Leão Lobo e pra Rosana Hermann que aquele X de sorriso pra foto não cola mais. Tá tão fake que mais parece um tique nervoso. E também não precisam tentar vender a imagem de amigos íntimos. Ou vão me dizer que dividem a mesma escova de dentes?? Difícil hein… Aliás, difícil mesmo é o Atualíssima emplacar 2009. Andam perdendo até da Sônia Abrão!!! Se bobear devem ficar até atrás da Gazeta…

Gostou? Compartilhe:
« « Band, Bairrismo Total| Fátima, Lola e Marias » »

November 23, 2008

Band, Bairrismo Total

Arquivo em: Coluna — Marco Telinha @ 10:07 pm
0 votos votar

bandImaginem a seguinte situação: eu sou um político influente e vou ser entrevistado por um repórter. Daí, antes da entrevista, vou avisando: “Vê lá o que você vai escrever, hein. Muita gente já se deu mal por tentar me prejudicar. Cuidado para não afundar sua carreira…” É uma forma estúpida de coação, correto? Pois é exatamente isso que os comentaristas/torcedores da Band costumam fazer. Não é de hoje, fique claro. Mas atualmente eles perderam qualquer senso de pudor ou responsabilidade ao vomitar suas opiniões nos programas da emissora. Passaram essa semana inteira falando das armações que o Vasco faria em São Januário e “aconselhando” o árbitro Gaciba a não cometer erros como os que ele supostamente teria cometido num jogo entre Botafogo e Corinthians pela Copa do Brasil. Falaram indiretamente, falaram diretamente e levantaram mil e uma teorias conspiratórias para prejudicar o São Paulo. Uma delas indicava que o árbitro carioca iria ajudar o Grêmio no jogo contra o Vitória em Salvador.
Bem, começa que o São Paulo tem time suficiente para vencer o Vasco e até ser campeão. Não precisa dessas artimanhas baixas de coação. Depois, o Vasco, é verdade, tem um histórico meio nebuloso nesse assunto. Especialmente nos tempos do Eurico e ao enfrentar equipes menores em seu estádio. Mas, não podemos esquecer, o São Paulo não é nada inocente nesse tema. Quem conhece um pouco de futebol sabe que já aconteceram inúmeros casos de pressão aos árbitros e intimidação de adversários no Morumbi. Basta puxar pela memória ou pesquisar um pouco sobre isso. E o mesmo se aplica a outros clubes paulistas; lembro do caso do gás de pimenta que jogaram no vestiário do São Paulo num jogo no Parque Antártica.
Mas, voltando à teoria dos palhaços do Jogo Aberto, vamos aos fatos:
- O Palmeiras perdeu as boas chances de disputar o título ao perder 9 pontos de forma inesperada. Perdeu de 3 pro Fluminense, depois perdeu do Grêmio em casa e finalmente levou de 5 do Flamengo. Qual foi a influência direta da arbitragem nisso? ZERO!!
- Hoje o São Paulo venceu o Vasco e não tem motivos para reclamar da arbitragem ou de qualquer evento extra-campo. Muito pelo contrário. Sem falar que não houve ajuda da arbitragem e o Vitória venceu o Grêmio em casa.
- Se algum clube pode reclamar hoje é o Flamengo, que teve um pênalti não marcado nos últimos minutos do jogo contra o Cruzeiro. Não que isso fosse mudar muita coisa na disputa pelo título, apenas na vaga pela Libertadores.
E então, como ficam os idiotas bairristas da Band e suas teorias furadas??? Qual será a fanfarronice que vão inventar na próxima Segunda? Hah!! E depois a Band reclama de não passar de 2 ou 3 pontos de audiência. Pois é, bairrismo dá nisso mesmo.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Ainda no Jogo Aberto, não lembro se Quarta ou Quinta, a Renata Fan levantou uma questão perguntado aos colegas cornetaristas quem eles achavam que seriam os clubes classificados para a Libertadores. Todos, todos os 4 panacas, escolheram o Palmeiras e o Cruzeiro. Isso considerando que, na data, o Flamengo tinha 1 ponto de vantagem sobre os concorrentes. Parece que se distrairam e esqueceram que ainda estavam na parabólica. Ainda mais quando a gente vê um jogo que a Band exibe pro Rio e envolve o Flamengo. Nessa horas o discurso muda e os elogios ao Flamengo aumentam 500%. Ô falsidade!
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Posso até estar enganado, ou traído pela memória, mas creio que TODOS os jogos que a Band passou para a rede, via parabólica, envolviam algum clube paulista. São Paulo, Palmeiras e, em último caso, Santos. Jogos de outros times, mesmo sendo decisivos ou clássicos, só para a praça.
Ainda tem a gelada que a emissora deu na Sulamericana depois que sobrou apenas o Internacional. Só passaram o jogo pro Rio Grande. E com enorme má vontade. Só por obrigação mesmo.
Pois é… Bairrismo não é crime. Mas gera aquela maravilhosa audiência de 2 ou 3 pontos que citei antes.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Mas a Band sonha em passar do teto de 3 pontos. Pegaram aquele programa sertanejo, o Terra Nativa, e começaram a chamar todo tipo de cantor: de axé, romântico-brega, pop… Só não vi roqueiro ou funkeiro ainda. Mas não deve demorar. Nada contra qualquer estilo musical, mas é melhor mudar o nome e o cenário do programa então.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Eu já tinha até anotado e iria comentar sobre a participação do Márcio de Castro como comentarista da Band e BandSports. Isso desde a Olimpíada de Pequim. Estava muito nervoso e vacilante. Mas, vendo a participação dele no mundial de Futsal e no futebol feminino sub-17 e sub-20, tenho que admitir: melhorou bastante. Não chega a ser aquela maravilha, mas está mais solto e com comentários mais pertinentes. Se considerarmos o nível dos outros comentaristas da emissora…

Gostou? Compartilhe:
« « Copiando e Andando| Band e Bairrismo, parte 2 » »

November 18, 2008

Copiando e Andando

Arquivo em: Coluna — Marco Telinha @ 10:26 pm
0 votos votar

Parece que a preguiça anda tomando conta de certos programas de televisão. Em lugar de criar algo novo apelam pra fórmulas que já deram certo antes. E copiam sem o menor pudor. Copiam de concorrentes, copiam programas da mesma emissora e, pasmem, copiam até seus próprios quadros. Puxando um pouco pela memória:
- O Mais Você, na falta de algo melhor, resolveu fazer um “big brother” culinário. Até por influência do Boninho, diretor do programa. Criatividade zero!
- O Miguel Falabella, tomado de enorme preguiça, resolveu transformar a personagem da Fernanda Souza, no Toma Lá Dá Cá, numa nova Magda. Se dava certo no Sai de Baixo… E tome erro de português!
- O Pânico, desfalcado do esquema praia/sol/gostosas desde a saída do Mendigo e Gluglu, resolveu colocar dois rapazes xavecando as garotas na praia, no quadro Beijo ou Tapa na Cara. Tudo muito fake e sem graça. Apenas para exibir as moças de biquini.
- O Esporte Espetacular resolveu seguir a Cultura e a Band e lançou um quadro com gols antigos, o Gol a Gol. Tudo bem que o arquivo da Globo é imenso e é legal mostrar o futebol do passado mas… Não é uma idéia exatamente nova.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Outra coisa que não é nova é a infestação de infomerciais na televisão. A “vítima” mais recente da praga é o SBT, que loteou parte de suas tardes para anunciar aqueles “fantásticos” aparelhos de ginástica ou liquidificadores extra-turbo-plus-mega. Ninguém merece. E a concorrência agradece.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Fico impressionado com a quantidade de programas de televisão sobre automóveis. Quase todas as emissoras tem o seu. Até a Rede Vida!!! Claro que isso não é obra do acaso. Tudo passa pelo departamento comercial, onde chovem anunciantes para estes programas. A coisa é tão lucrativa que tem programa de automóveis fazendo jabá em um certo site famoso. E eu não falei “anúncio”, disse jabá. Jabá, com todas as letras. Toda semana tem um “recadinho”.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Uma novidade, muito boa, é o quadro que o Jornal da Globo criou para falar de TI. Já não era sem tempo. Pena que é quinzenal. E pena que é só um quadro. Se tivesse o mesmo número de anunciantes que o mercado automobilístico…
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Parece que interatividade na televisão brasileira se resume a ler alguns emails de telespectadores. E, podem reparar, 101% deles começam com elogios ao programa ou ao apresentador. Dá até pra acreditar que eles nunca recebem emails com críticas. Tá bom… Se é para citar apenas os elogios estão dispensados dessa “interatividade”.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Vi um pedacinho do seriado Ó Paí, Ó, que a Globo lançou há algumas semanas. Não deu pra ver mais que um pedacinho. É muito ruinzinho aquilo. Aliás, é bastante ruim. Queria ver a audiência se passasse na Rede TV!. E duvido muito que se segure na grade da emissora no próximo ano. Em Abril, com a programação nova, ele deve ser rifado. E, pensando nisso, acho que desde o fim dos Normais nenhum programa emplacou no horário noturno das Sextas na Globo. Mistério…
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Uma das cenas mais engraçadas que vi nos últimos tempos foi o Top Five no CQC da Segunda passada. Aquele senhor dando uma cantada na Regina Volpato foi demais. Muito engraçado. E acho que o cara deveria receber uma medalha. Fez aquilo que milhares de homens gostariam de fazer. Eu mesmo. Só que eu não seria tão “educado” ou tão romântico. E, francamente, a Regina Volpato é a MILF mais deliciosa da tv brasileira. Só o SS mesmo pra não gostar dela e deixar tão doce criatura apresentando aquele lixo de programa.

Gostou? Compartilhe:
« « Deborah Seca| Band, Bairrismo Total » »

November 15, 2008

Deborah Seca

Arquivo em: Belas & Barangas — Marco Telinha @ 11:00 pm
1 votos votar

Editor de revista, vou te falar… Alguns ( a maioria) devem ter titica de galinha na cabeça. Resolvem que fulana é a última bolacha do pacote e pronto! Nada pode se opor à opinião deles. Mas eu discordo. Especialmente quando eles querem escolher a mais bela ou mais sexy. Dias atrás, alguém, de péssimo gosto, resolveu espalhar que a dona Deborah Secco (tome agas e letras duplas!) é a atriz mais sexy da terra brasilis. Pombas!!
Dizer que a Deborah é a atriz mais sexy da televisão é como falar que o Jô sofre de anorexia ou que o Leão Lobo é o maior pegador da praça. Só levando na brincadeira. Acho ela muito fraquinha. Tudo menos sexy. E aqui ela entra na fila das barangas. Pelo tamanho, baranguinha.

deborah seccodeborah secco

Gostou? Compartilhe:
« « Saem 200, Entra Uma| Copiando e Andando » »

November 10, 2008

Saem 200, Entra Uma

Arquivo em: Coluna — Marco Telinha @ 10:07 pm
0 votos votar

A notícia mais “quente” dos últimos dias foi a efetivação da transferência da sra. Galisteu, saindo do SBT e indo pra Band. Como se isso fosse baixar o Dólar… Começa que nem haviam opções melhores pra apresentadora. Falta de interesse da Globo e Record (mesmo problema de “perfil” que falei no caso do Marcelo Resende), problemas antigos e atuais com a Rede TV!… Sobrou quem? Gazeta? MTV? TV paga? Era mais fácil fechar com a Band mesmo. Mesmo com uma baita redução de salário.
E essa recente movimentação na Band me fez lembrar de tempos não muito remotos do SBT. O SS demitia uma pancada de gente (redução de custos) e uns 3 dias depois contratava uma estrela por um salário exorbitante. E a Band fez igual o SS. Se bem que o salário da Adriane não será tão alto assim. Mas, para quem queria cortar custos… Aliás, na tv brasileira cortar custos é sempre sinônimo de cortar funcionários. As mordomias, as viagens BLT (boca livre total), as festas e outras “cositas” continuam firmes e intocáveis.
Mas, vendo o lado bom das coisas, a demissão em massa na Band serviu para aliviar a minha paciência: foi-se o Paulo Morsa :) ô alegria. Parece que ele vai se mudar pro Rio, virar sócio do Flamengo e passar a aposentadoria pegando sol na praia de Copacabana. Hehehehe.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Outro que rodou no esporte da Band foi o Guilherme Arruda. Tudo bem que o namorado da Patricinha Maldonado não é tuuuuuudo aquilo como apresentador mas… E a Luize Altenhofen? Qual o motivo pra permanência da moça? Competência NÃO pode ser. Beleza? Se for por esse lado tem gente melhor. Na equipe esportiva da Band mesmo. Tá lá encostadinha, mal aproveitada, esperando uma chance. Depois a Globo ou Record levam a moça e vão ficar chorando o leite de magnésia derramado. Ah, o nome da moça começa com “P”.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Outro dia eu estava vendo aquele concurso de musa do brasileirão que a Globo está promovendo. Agora, além do site, usam o Esporte Espetacular e o programa do Huck para divulgar a farra. Bem, isso era uma coisa que a Band deveria estar fazendo. A tal transmissão diferenciada que sempre defendi para que a emissora pudesse brigar com a Globo no futebol. Claro que não bastaria só um concurso de beleza envolvendo moças e clubes. É só um dos diferenciais que a emissora poderia usar. Apresentariam as moças antes dos jogos, os espectadores poderiam ir votando durante a partida. As candidatas seriam dos mesmos clubes que estivessem jogando na transmissão pra rede. Se o clube X ganhasse a sua candidata teria mais 10% de votos somados aos dos torcedores. Poderiam até usar o esquema de votação por SMS (internet também) que eles tanto gostam. Quem sabe um prêmio (moto, LCD ou computador) sendo sorteado entre os votantes… Meio por aí. E tem muito mais coisas do tipo que a emissora poderia fazer pra sair da mesmice. Nada muito difícil ou dispendioso.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
EBA! Parece que a turma da Rede TV! costuma ler essa coluna. Nem tinham passado 4 ou 5 dias que escrevi falando sobre o áudio de música enquanto o Carioca pedia pro espectador ouvir o motor do carro naquele nefasto sorteio do carro e… Alguém foi e consertou a bagaça. Colocaram um som de motor após a locução do Carioca. Claro que o áudio é fake (devem ter baixado da Internet) mas, melhor que nada. Obrigado pela atenção e pela audiência. Se bem que já entrou uma nova propaganda pro novo sorteio de outro carro. Mesmo assim…
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Falando em carros e áudio… A transmissão da Stock Car, na Globo, no último Domingo até que estava legal. Corrida boa, muitos pegas… O único problema foi que a direção da transmissão deixou o áudio da pista num volume acima do normal. Muitas e muitas vezes, ao passar um carro próximo aos microfones, a narração do Luis Roberto, que transmitia a corrida, ficava inaudível. Totalmente abafado pelo ronco do motores, amigos da Globo.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Falando na Globo… Até hoje estou querendo entender a função daquele teclado e mouse que a cenografia mete na bancada de quase todos os telejornais da casa. Nunca vi nenhum apresentador se valer deles ou sequer tocar nos apetrechos. Ficam lá pra enfeitar. Bom, por mim poderiam botar um pinguim de geladeira no lugar. Teria o mesmo efeito prático.

Gostou? Compartilhe:
« « Jornal Gravado É Dose| Deborah Seca » »

November 6, 2008

Jornal Gravado É Dose

Arquivo em: Coluna — Marco Telinha @ 10:05 pm
0 votos votar

E então o Obama ganhou… Muito bem. Só não concordo com o tamanho da atenção da mídia brasileira à eleição dos EUA. Tempo demais e babação demais. Teve até uma correspondente da Globo ameaçando chorar de emoção na festa da vitória do Obama!! Acreditem… E também não vi justificativa no envio de âncoras para apresentar os telejornais de Washington. Uma coisa sem sentido e sem resultado prático. O que fizeram de lá poderia ter sido perfeitamente apresentado do estúdio. E sem o problema habitual do delay. Importante mesmo é ter correspondentes lá. Repórteres, cinegrafistas, produtores…
Mas o mais interessante ocorreu no dia seguinte, na apuração. Logo de manhã, ainda de madrugada, a Globo entrou com o Renato Machado (acho que era ele sim) ao vivo e mostrando o fatídico resultado. Na mesma hora a Band tinha o pastor pastoreando suas ovelhas. E o SBT… Bem, o SBT tinha o SBT Manhã, gravado e exibindo as notícias do dia anterior. Nada de informar o resultado da eleição. Como o primeiro jornal ao vivo da emissora é o SBT Brasil, só de noite é que deram a notícia. É como um amigo meu costuma dizer: “Se o mundo acabar, deixe a tevê ligada no SBT. Você só vai saber do fim do mundo dois dias depois.” Hehehehe.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Eu coloquei uma enquete (não sei se haverá outras depois) no menu perguntando se as pessoas já têm TV digital. Por enquanto o resultado é 100% “não”. Não há surpresa nisso. Mais de 1 ano após o lançamento e só 0,3% dos brasileiros já possuem a novidade. Neste mês começam as transmissões em Porto Alegre e Salvador, só para informar. Mas tem algo errado nesse projeto. É muito pouca gente com o tal receptor. Um número ridículo na verdade. Mas, como dizem, filho feio não tem pai. Só que esse tem. E eu já falei sobre isso em diversas oportunidades aqui no site. E não apenas um. Tem vários pais.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Na Quarta passada, no jogo da Copa Sulamericana que a Globo exibiu, do Palmeiras, convidaram o Luxemburgo (ele não acompanhou o mixto do time na Argentina) para participar da transmissão nos estúdios. Sorrisos, elogios, tapinhas nas costas… Trata-se da forma (nada sutil) da emissora manifestar seu apoio ao técnico e puxar o tapete do Dunga. Ainda mais que o Dunga está brigado com a emissora e conta com a reprovação da maioria dos torcedores. Agora fica fácil mudar de lado. Se a gente ainda somar o ódio mortal que a imprensa esportiva paulista (Band, por exemplo) nutre pelo Dunga… Resta agora é alguém para reaproximar o Luxemburgo daquele senhor que é o dono da CBF. Não chega a ser um trabalho impossível.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
marcelo resendeE o Marcelo Resende picou a mula da Rede TV!. Não aceitou a redução de salário proposta pela emissora. E parece que os dois lados tem certa razão nesse caso. O apresentador não tem motivos para aceitar uma redução salarial sem um motivo plausível. E a emissora, que o havia contratado num tempo onde algumas emissoras brigavam com programas policialescos e pagavam alto por certos nomes, viu que o salário atual estava fora dos padrões normais. Não dá pra negar, 300 mangos por mês é muito dinheiro. Só perdia pra “segunda dama” da emissora, a Luciana.
Agora o rumo do Marcelo Resende é meio incerto. Tem gente chutando pra todo lado: Band, Record, SBT… Na Band eu duvido muito. Já tem o Datena lá e não iriam pagar uma fortuna por um apresentador com o mesmo perfil. A Record até poderia pagar mas não creio que eles tenham interesse no Marcelo ou em alguém do mesmo estilo. Já o SBT… O SS já havia tentado tirar o Datena da Band. O Olha você continua capengando… Talvez um outro programa no horário, para brigar com o Brasil Urgente… Até faria sentido.

 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Eu sei que emissoras de televisão fazem qualquer negócio em se tratando de faturar publicidade. Algumas então… Só que, meter o logo de uma cervejaria na abertura de um programa é demais. Pelo menos eu não me lembro de um fato parecido. Talvez já tenha ocorrido, mas não de maneira tão escandalosa quanto na abertura do CQC. Parece que exageraram na dose. E ainda temos que contar as inserções de logos nas vinhetas entre blocos, nas ações de merchadising envolvendo os apresentadores do programa e, antes que me esqueça, no próprio intervalo comercial. Por incrível que pareça ainda tem o intervalo comercial no programa. Mas, pombas, regra número 1 no departamento comercial: se há muita procura pelos anunciantes, aumenta-se a tabela. Ou vão continuar vendendo espaços e mais espaços no programa? Do jeito que andam, qualquer hora aproveitam a careca do Marcelo Tas para meter algum logo de anunciante. Acho que é o único espaço “disponível” atualmente no programa.

Gostou? Compartilhe:
« « Oba Oba Pro Obama| Saem 200, Entra Uma » »

Page 70 of 79« First...1020306869707172...Last »

Produzido por Tevê Zona       Future Google PR for tevezona.com - 3.17